Eu e o Windows






A briga é constante.


Fui usuário do Windows por mais de 15 anos, durante este tempo todo eu tentei me habituar com ele, sem brigas e sem dores de cabeça. Bem, o Windows não teve dores de cabeça comigo, mas infelizmente, eu não posso dizer o mesmo no que se refere a mim. Agora que passou alguns anos que estou distante dele, - fazem quatro anos que não o utilizo mais -, posso dizer com toda a certeza e convicção que existem sistemas operacionais bem mais estáveis que ele. Sempre gostei de usar programas de edição musicais e vídeo e, para fazer isso, tenho que instalar programas como o cubase ou Sonar e o Vegas.
Também instalava o Microsoft Office para edição de textos, planilhas eletrônicas e etc; o windows não aguentava tanta coisa instalada e constantemente ficava bichado, travava na inicialização ou durante algum processamento. Outra coisa que me irritava era a porcaria do antivirus que ficava policiando tudo que eu fazia, as vezes, era só escrever meia dúzia de palavras no World e lá estava o antivirus me segurando a maquina.

TRAVAÇÕES DO WINDOWS. 




Quando usava o Sonar 6 para gravar alguma musica, o que exige muito do processador, era um deus nos acuda; mesmo usando poucos canais de audio no programa o micro ficava travado por alguns segundos, não era pouca as vezes que eu tinha que refazer tudo de novo pois o programa dava DROPOUT e encerrava me deixando com cara de bobo na frente dele. Certa vez, para solucionar o problema, instalei dois windows em dual boot, uma só para acessar a internet com todos os programas do Office e, outra sem acesso a internet só com os programas do meu home stúdio instalados para poder fazer as gravações musicais e produção de vídeos. Mas havia um problema, as vezes eu tinha que acessar a internet para buscar uma ajuda ou tutorial a respeito do que programa que estava utilizando e ai era fatal, tinha que reiniciar o computador para procurar pela ajuda, imprimir a página e depois dar o boot para voltar ao windows do meu home studio e assim, continuar a gravação ou edição de vídeo. UM SACO.

TENTATIVA COM O UBUNTU STUDIO. 




Na época tentei instalar o Ubuntu Stúdio, até gostei de sua aparência e dos programas, mas confesso que encontrei algumas dificuldades na hora em que precisei usar o JACK para habilitar os programas a usarem minha placa de som. Pra dizer a verdade eu andava muito irritado e aprender a mexer nesse sistema, que é bem mais complexo, não estava nos meus planos. Sendo assim, comecei a pesquisar por uma alternativa mais fácil, onde eu só teria que aprender a usar os programas sem ter que ficar dando boot para acessar  a internet na procura de tutoriais e ajuda. 


USANDO O MAC OS X.




E foi assim que decidi, depois de muito pesquisar e xeretar por ai, a comprar um Macintosh. A primeira coisa que fiz foi pedir a um amigo que tinha um iMac,  - daqueles bem antigos -, que me emprestasse sua maquina para ver se eu conseguia fazer a conexão com a net sozinho, pois e não entendia nada desse tipo de computador e, pra dizer a verdade, nem ele sabia como conectar net naquela maquina. Ele me trouxe o computador (mac) e eu, ainda usando o meu PC com windows, fui em busca de como acessar a internet, foi bem fácil. Após essa experiência inicial decidi vender meu pc com o windows e procurar um iMac para mim; eu até que teria ficado com o mac dele, mas o computador estava tão desatualizado que não abria as páginas da internet, só conectava. Lógico que eu não podia comprar um iMac novo e assim decidi por um usado.

A CONCLUSÃO QUE CHEGUEI.


WINDOWS vs MAC vs LINUX

Windows.
Confesso que atualmente ando em duvida quanto ao que fazer no futuro quando se trata do meu home studio. Windows não dá para confiar, recentemente instalei ele (o windows 7) pelo Boot Camp e a conclusão que cheguei é que ele continua a mesma coisa. 
Mac.
Depois de quatro anos usando o Mac OS X eu sei o que é estabilidade e usuabilidade em um sistema operacional. São raras as vezes que trava e, quando travava, é raro precisar dar o boot para resolver o problema, quando isso acontece geralmente o que foi feito não fica perdido e é fácil recuperar. Mas um Macintosh é meio caro e com o que se gastaria numa maquina Apple mais em conta dá para montar um PC bem parrudo.
Linux.
Ainda sou bem desínformado, bem leigo mesmo neste sistema, e fico meio apreensivo. Atualmente estou participando de algumas comunidades do Linux para começar a entender como funciona. Não é tão difícil assim, mas vou ter que mudar todo o meus esquema de trabalho.
Acho que se eu for levar em conta o custo beneficio; preço do hardware mais preço de software o Pinguim ganha disparado pois, para o Windows, tudo é caríssimo mas deixa a desejar quando se trata de funcionabilidade. No Macintosh tudo funciona, é bem fácil, mas hardware e software são bem caros também. No Linux só vou gastar o de acordo com a maquina que eu desejo montar, os softwares são de livre uso. Bem, ainda tenho um tempo para pensar nisso, minha maquina é totalmente funcional. Acho que dá para ir estudando o funcionamento do linux ubuntu e me preparar para usa-lo futuramente. 

É isso mesmo. 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Manual da maquina de ritmos Alesis SR 16

Tábua de transferência

Sete anos usando Macintosh